Monthly Archives: Maio 2011

mediamos mesmo?

Anúncios

arquitecto do EU

Após o 3º café do dia, apareceu-me à frente a ideia de que esta coisa de estarmos conectados é sermos arquitectos do nosso EU e dei comigo a ler umas coisas sobre ambição, Socrates e Alcibiades e acabei a pensar na auto-renunciação.

A ideia de sermos arquitectos no nosso EU é uma via de duplo sentido, com alguns obstáculos pelo meio. Todos os dias trabalhamos com a tecnologia  sem a compreendermos (opacamente, seria o advérbio mais ajustado).

Isto é só um desabafo desencadeado em mim pelo cheiro de café  mas isso não interessa nada agora.

filtros de qualidade e aprendizagens significativas

A revisão da literatura ou o estado da arte dão-nos os filtros necessários para as aprendizagens significativas…? Formalmente tenho para mim que ajudam um bom bocado.

Quanto às aprendizagens informais, ainda ando à procura de um paradigma.

Por ora, padeço de dificuldade em acompanhar as mais recentes
novidades e desenvolvimentos e de dificuldade em avaliar a qualidade da informação circulante e receio que isto se venha a agravar e transformar num estado patológico de litracia-informativa-apatica.

Mantenho-me num estado activo de ambivalência (…e agora vou ali ao blog da esquina produzir conhecimento).

E não me lixem com a autoria!

intoxicação informativa

Acordo diariamente no meio de um cenário de intoxicação informativa.

Mas não é com isso que me devo inquietar. Afinal esse é o cenário mas quem está no meio dele sou eu, uma criatura cujas capacidades cognitivas (as de análise e de síntese, claro) não deviam sofrer de preguiça. A verdade é que nem sempre conseguem filtrar aquilo que outras criaturas, igualmente donas de excelentes capacidades, põem a circular por aí.  Separar o essencial do acessório é uma velha questão que hoje precisa de uns quantos filtros de qualidade e de mais um café.

Em destaque, hoje no meu dia: ” Preguiça cognitiva, não”.

http://blip.tv/play/gshVzq1XAg