Category Archives: Tecno-self

A solidão de viver e aprender online

Que se lixe a partilha, as redes e a conectividade!!!

Ando há uns dias a usar a solidão  como um espaço de pensamento livre… e gosto.

Uso aqui a palavra solidão com o mesmo sentido de Rainer Maria Rilke ” Ir dentro de si e não encontrar ninguém durante horas, é a isso que é preciso chegar.”

E isto porquê?

Porque tive que encontrar uma resposta, ao mesmo tempo eivada poeticamente e assumidamente verdadeira, que me tranquilizasse. E essa resposta veio da necessidade (minha, sem dúvida mas de outros humanos como eu, decerto) de poder muscular o meu pensamento reflexivo evitando o seu atrofiamento pela intensidade, rapidez e algum aborrecimento da vida online.

Quero lá saber da partilha… eu sou o Ser com quem fico à conversa durante horas sem me perder. A paciência que tenho comigo, a riqueza das minhas dúvidas existenciais, a produção divergente do meu pensamento são das melhores coisas que a vida online me proporciona… sem que ninguém me ouça.

PS: Ok… reconheço, vim aqui dizê-lo :))

Anúncios

Fbooks ou literatura aos posts

Parece que andam por aí a empacotar umas obras para nos servirem rapidinho, via Facebook, como se pode ver aqui http://www.facebook.com/obominverno

Nada contra!

À pala dos novos tempos (são tempos lá isso são, outros, pela impossibilidade de serem os mesmos, mas adiante) emergem umas tendências (novas, também elas) e alguém mastiga a literatura por nós.

Nada contra!

Dizem que a coisas até resulta numa espécie de interactividade enriquecida com fotos e uns linkezinhos, coisa que os autores das obras certamente agradeceriam se por cá andassem.

Nada contra!

Aquilo que me chateia é mesmo isto…   Andamos distraídos ou o quê?

arquitecto do EU

Após o 3º café do dia, apareceu-me à frente a ideia de que esta coisa de estarmos conectados é sermos arquitectos do nosso EU e dei comigo a ler umas coisas sobre ambição, Socrates e Alcibiades e acabei a pensar na auto-renunciação.

A ideia de sermos arquitectos no nosso EU é uma via de duplo sentido, com alguns obstáculos pelo meio. Todos os dias trabalhamos com a tecnologia  sem a compreendermos (opacamente, seria o advérbio mais ajustado).

Isto é só um desabafo desencadeado em mim pelo cheiro de café  mas isso não interessa nada agora.