Tag Archives: crianças

LIFEisGAME

No Projecto LIFEisGAME (LearnIng of Facial Emotions usIng Serious Games) está-se a desenvolver a tecnologia para criar mais uma ferramenta para ajudar a desenvolver nas crianças com PEA aquilo onde são inábeis.

Perfeito! A tecnologia é muito capaz, quanto a isso não tenho dúvidas.

Aquilo que me deixa a pensar está ligado ao resto… à perturbação em si, mas especialmente às crianças e às famílias.

  • Do ponto de vista cognitivo, como se processa nas crianças com PEA a aprendizagem das habilidades comunicacionais? Que circuitos neurais são implicados e como? De que forma usam elas a “base de informação” que lhes será dada pela ferramenta em desenvolvimento neste projecto?
  • Do ponto de vista metacognitivo, como produzem as crianças com PEA o seu próprio conhecimento? Como usam o seu potencial cognitivo e sobretudo como “pilotam” elas esse processo?

Certamente que diferentes linhas de investigação serão desenvolvidas em simultâneo, e eu espero lá para 2014 saber mais umas coisinhas que me ajudem a clarificar as minhas dúvidas.

a pedagogia da avó

Dizer: “Óptimo… fantástico” é a uma metodologia não invasiva.

A minha avó praticava-a e sempre me dei bem com ela, com a pedagogia e com a minha avó. As coisas acontecem, quer queiramos quer não. Aprendemos de qualquer maneira, onde quer que estejamos.

Sras. professoras e srs. professores… usem-na e deixem a aprendizagem acontecer.

Andamos distraídos ou o quê?

Que efeitos tem, começar o dia, a pensar em padrões mentais & redes neurais e sei lá que mais?

Como estou consciente da plasticidade da minha cabecinha, nem sequer me atrevi a travar o processo e fui por ali fora. com sorte vou conseguir engordar algumas das partes constituintes do meu cérebro… pode ser o hipocampo, para começar.

Ora bem, agora estou aqui a escrevinhar estas coisas e a usar estas tecnologias que me levam a fazer tudo rapidamente (nos ultimos minutos respondi a 3 emails, a 5 comentários num dos meus posts, falei com um amigo que está numa conferência em londres, revi uma proposta de trabalho e antes que um colega a actualizasse a dropbox ainda fui buscar um café…). Bom, mas o conteúdo não interessa nada! O que interessa é a consciência que tenho de que a velocidade com que o faço me está a afectar os circuitos neurais e isso aborrece-me.  Por isso parei para pensar… que hoje é o dia da criança!

Criança – miúdos- écrã – e dou comigo a pensar que:

… realmente, os miúdos que passam várias horas por dia em frente aos écrãs (0 mundo é isso mesmo… a big and wonderful screen) tem andado ultimamente a tomar muita Ritalina.

… realmente, a força do visual faz com que as sensações do aqui-e-agora dominem os sentimentos e pensamentos… e os miúdos querem lá saber o que sentem e pensam os personagens ou os outros que estão do outro lado do écrã

Bom, eu estou a fazer a minha parte para não me deixar ficar num mundo infantilóide onde se reaja apenas passivamente ás sensações numa lógica de the experience of the thrill of the moment.

E você?

A resposta depende daquilo que fizer depois de ler o que escrevi?!

Pode ser util ler umas coisinhas em http://www.consumingexperience.com/2008/06/computers-internet-affecting-brain.html